fbpx

Sua estratégia de marketing digital pode focar em tráfego pago, tráfego orgânico, ou em ambos. Mas qual a diferença entre eles? Saiba o que são e como escolher o melhor neste artigo.

Se você trabalha com marketing digital ou precisa dele para o seu negócio online, com certeza já deve ter ouvido falar sobre tráfego web.

Assim como o tráfego de veículos, que representa o fluxo e a circulação de automóveis, o tráfego web é a movimentação de usuários em sites, portais e páginas da internet.

Levando em consideração que existem mais de 1,86 milhões de websites cadastrados atualmente, já dá pra imaginar o grande fluxo de usuários online que existe, certo?

Mas como atrair visitantes para o seu site em um ambiente tão movimentado, porém tão concorrido como a internet?

O marketing digital possui algumas estratégias que focam em dois tipos de tráfego que podem ajudar você nessa missão: o tráfego pago e o tráfego orgânico.

Para que você possa entender melhor o que é cada um deles e como utilizá-los em suas estratégias, preparamos este artigo que está cheio de informações úteis sobre o tema. Continue lendo!

Veja o que vai ler sobre Tráfego Pago x Tráfego Orgânico:

O que é Tráfego Orgânico?

O tráfego orgânico é todo aquele movimento de usuários que é gerado de forma espontânea. Ou seja, as pessoas acessam o site por iniciativa própria, depois de fazer uma breve avaliação sobre qual link clicar.

Isso porque, quando alguém pesquisa um termo no Google, por exemplo, milhões de resultados aparecerão nas páginas de busca (SERPs). O link que melhor atender à intenção de busca dessa pessoa, ganhará o clique.

Ainda utilizando as páginas de busca do Google como exemplo, os links patrocinados são facilmente identificados, pois acompanham a palavra “anúncio” ao lado do título do link e geralmente aparecem posicionados no topo ou no fim da página. Os links de busca orgânica preenchem os espaços restantes.

Agora, o que motiva as pessoas a escolherem clicar em um determinado link? Para começar a entender isso, pense em suas próprias experiências e critérios na hora de fazer essa escolha.

Pode ser porque o título e a descrição demonstram estar mais próximos da sua intenção de busca, ou talvez porque parecem ser de um site confiável ou que você já conhece.

Os motivos para essa escolha podem variar de pessoa para pessoa, mas existem alguns padrões que são observados e que podem ser trabalhados através das técnicas de SEO.

Técnicas de SEO e Tráfego Orgânico

SEO vem da sigla em inglês de Search Engine Optimization, também chamada em português de otimização para motores de busca.

Trata-se de um conjunto de técnicas que trabalham tanto com elementos internos do site (on-page) quanto com elementos externos (off-page), com o objetivo de colocá-lo nas primeiras posições dos motores de busca e, assim, gerar tráfego orgânico.

Então, SEO nada mais é do que a otimização de sites voltada para garantir que eles sejam encontrados pelos usuários nos buscadores.

Essa otimização inclui melhorias gerais na performance do site, como carregamento mais veloz da página, responsividade em diferentes dispositivos, imagens otimizadas e conteúdos de qualidade e com boa utilização de palavras-chave.

Além disso, fazer links para páginas de conteúdos relacionados dentro do próprio site e receber menções de terceiros, fazem parte das técnicas de SEO que ajudam a dar autoridade para o site.

Todas essas ações, desde que bem realizadas, é que garantem que sites consigam ranquear nas primeiras posições nos buscadores, o que consequentemente gera maior tráfego orgânico.

Qual tipo de conteúdo investir para gerar Tráfego Orgânico?

Como você viu, não há como não falar de tráfego orgânico sem falar de SEO, pois sem aplicar essas técnicas, dificilmente conseguirá atrair visitas espontâneas ao seu site.

Outro ponto que não dá para evitar é o conteúdo. Afinal, é por meio dele que você irá informar, educar e engajar o seu público-alvo.

O marketing de conteúdo, que faz parte das técnicas de Inbound Marketing, trabalha com a premissa de que, mais que gerar vendas, é preciso gerar fãs das marcas. Ou seja, pessoas que são atraídas naturalmente e que passam a acompanhar determinada marca.

Isso só é possível quando conteúdo relevante e de qualidade está sendo proporcionado a essas pessoas. Alguns formatos de conteúdo são:

  • Artigos em blogs próprios e em plataformas de jornalismo social;
  • Vídeos e lives (webinars, workshops, etc.);
  • Landing pages para materiais informativos e e-books;
  • Infográficos;
  • Podcasts e artigos em áudio.

Dependendo do tipo de negócio, alguns formatos farão mais sentido do que outros. Se não puder investir em todos, escolha os que são possíveis atualmente.

Uma dica é olhar para empresas concorrentes ou similares à sua e ver quais formatos de conteúdo estão dando certo para elas. A ideia não é copiar, mas sim se inspirar e trazer algo ainda melhor.

Independentemente de qual conteúdo você deseja trabalhar, tenha em mente que, quando falamos de qualidade e relevância, estamos querendo dizer um conteúdo centrado nas pessoas usuárias.

Em outras palavras, de nada adianta criar um conteúdo maravilhoso sobre algo que ninguém está interessado em saber.

Para evitar isso, procure entender seu público-alvo e o que ele busca saber quando pesquisa produtos ou serviços relacionados ao que a sua empresa oferece. Algumas ferramentas do Google, como o Google Trends, podem te ajudar nessa missão.

Vale lembrar que essa relação com os usuários, como qualquer outra, é construída aos poucos. Por isso, mantenha em mente que as ações para gerar tráfego orgânico levam mais tempo para dar frutos.

O que é Tráfego Pago?

Também chamado de PPC (do inglês pay-per-click), tráfego pago é aquele que é gerado por meio de cliques em links patrocinados que ficam em posições estratégicas das SERPs, identificados como “anúncio”.

Para poder conseguir esses espaços de grande visibilidade, é preciso utilizar plataformas de anúncios como o Google Ads, Bing Ads, Facebook Ads, Instagram Ads, entre outras.

Nesse sistema, quando determinadas palavras-chave forem pesquisadas,  anunciantes só pagam quando seus links receberem cliques.

Por conta disso, a escolha dessas palavras-chave deve ser feita de forma planejada e estratégica, já que elas também ditam o preço que cada clique irá custar. Quanto mais concorrida, maior será o custo dela.

Por se tratar de uma estratégia que necessita de conhecimentos mais aprofundados, já que envolve um investimento inicial maior, empresas que desejam investir em tráfego pago devem considerar buscar ajuda especializada de agências de Google Ads e outras plataformas de anúncio.

Plataformas de anúncios para gerar Tráfego Pago

Falando nisso, existem diversas plataformas de anúncios que podem ser utilizadas para gerar tráfego pago para o seu site, sendo que as mais populares são o Google Ads e o Facebook Ads.

O Google, como o maior buscador do mundo, acaba sendo um ambiente extremamente favorável para receber anúncios.

Por meio do Google Ads, é possível fazer campanhas não somente na rede de pesquisa do buscador, mas em sites e portais de seus parceiros, através da rede display. Sem contar que as campanhas de remarketing ajudam a aumentar o tráfego e a conversão.

O Facebook, com seus mais de 136 milhões de usuários só no Brasil, também é outro local muito atrativo para quem deseja investir em tráfego pago.

A sua plataforma de anúncios, o Facebook Ads, é bastante sólida e eficiente, permitindo alta segmentação de público-alvo.

Outras opções de plataformas de anúncios são:

  • Instagram Ads: é a plataforma de anúncios da rede social Instagram. Por pertencer ao Facebook, as campanhas de anúncios podem ser configuradas também pelo Facebook Ads;
  • LinkedIn Ads: o LinkedIn é uma rede social profissional voltada para a comunicação de empresas e profissionais. Por conta disso, é um dos ambientes mais interessantes para prospecção B2B e anúncios voltados para áreas específicas.
  • YouTube Ads: anúncios em vídeo têm crescido consideravelmente nos últimos tempos, sem contar que o YouTube é o segundo maior buscador do mundo, ficando atrás do próprio Google apenas. As configurações de campanhas para gerar tráfego pago pelo YouTube podem ser feitas no Google Ads.
  • Bing Ads: apesar de seus menos de 3% de participação no mercado de mecanismos de busca, o Bing (buscador da Microsoft) é uma fonte de tráfego tanto orgânico quanto pago. A vantagem de utilizar o Bing Ads, é que a plataforma é bastante semelhante ao Google Ads em termos de usabilidade.
  • Taboola: essa plataforma de anúncios publicitários é voltada para a abordagem de native ads (ou anúncios nativos), que tem como objetivo veicular anúncios de forma mais natural e menos intrusiva para a audiência.

Como você pode ver, não faltam opções para conseguir gerar tráfego pago em seu site. E se por um lado ter muitas possibilidades é algo bom, por outro surgem muitas dúvidas, tais como: qual a melhor? Como escolher?

Para começar a responder tais perguntas, é necessário entender bem as particularidades do seu negócio e do seu público-alvo. Afinal, a melhor plataforma de anúncios é aquela onde a sua audiência está.

Se você não tem certeza de onde está a sua audiência, faça testes A/B em algumas opções e veja quais dão melhores resultados.

Qual tipo de conteúdo investir para gerar Tráfego Pago?

Apesar de poder ser utilizado para outros objetivos, como promover conteúdo de blogs ou materiais para geração de leads, o tráfego pago é bastante visado pelo mercado varejista e de serviços.

Por conta disso, o conteúdo de anúncios de tráfego pago são geralmente voltados para conversão de clientes de fundo de funil, ou seja, públicos que já estejam mais próximos de realizar a compra.

Veja algumas ideias de conteúdo pensando em tráfego pago:

  • Demonstrações gratuitas do produto;
  • Landing pages voltadas para o produto ou serviço;
  • Cupons de desconto;
  • Consulta gratuita;
  • Formulários para contato.

Vale lembrar que o tráfego pago também pode ser utilizado para quem deseja promover um produto ou serviço novo, ou até mesmo uma nova marca no mercado.

A dica para escolher o melhor conteúdo para promover é sempre pensar em qual público você está almejando. Por isso, tenha em mente os estágios de funil de vendas e sempre pense em adequar o seu conteúdo para o momento da jornada de seus possíveis clientes.

comparação entre tráfego pago e tráfego orgânico

Comparação: Tráfego Pago x Tráfego Orgânico

Agora que já entendemos as particularidades de tráfego pago e orgânico separadamente, chegou o momento de colocar os dois lado a lado e fazer uma breve comparação entre um e outro.

Tráfego pago

  • Resultados a curto prazo;
  • Conteúdo altamente segmentado, voltado para a conversão;
  • Dependente de investimento, deixando de gerar resultados assim que o corte for feito;
  • Maior ROI (retorno sobre investimento) a curto prazo;
  • Gastos variam de acordo com períodos do ano e concorrência;
  • Início geralmente fácil e com menos pessoas envolvidas;
  • Paga-se por cada clique no link patrocinado.

Tráfego orgânico

  • Resultados a longo prazo;
  • Conteúdo voltado para a atração e engajamento de público-alvo;
  • Não depende de investimento constante, gerando resultados para sempre;
  • Maior ROI (retorno sobre investimento) a longo prazo;
  • Maior possibilidade de continuar gerando tráfego com o mesmo conteúdo;
  • Necessita estratégia sólida, geralmente com mais pessoas envolvidas;
  • Não paga pelo clique.
qual o melhor, trafego pago ou organico

Qual é o melhor: tráfego pago ou orgânico?

Quando se fala em tráfego pago e tráfego orgânico, muito se pergunta qual deles é melhor. A verdade é que isso, como muitos outros aspectos no marketing digital, depende.

Depende dos objetivos do seu negócio, do tipo de produto ou serviço que você possui e do orçamento que tem disponível para investir em divulgação (incluindo gastos com pessoal).

Se mesmo assim ainda tiver dúvidas, considere alguns pontos a seguir para te dar algumas ideias sobre quando focar em um ou outro tipo de tráfego.

Quando focar em tráfego pago:

  • Ter resultados imediatos;
  • Temporadas especiais e períodos de promoções;
  • Promover marcas nova, produto ou serviço inovador no mercado;
  • Redirecionar o público-alvo para página de vendas;
  • Se manter competitivo entre a concorrência.

Quando focar em tráfego orgânico:

  • Resultados a longo prazo, porém duradouros;
  • Não tiver alto orçamento;
  • Fortalecer sua marca e aumentar sua autoridade;
  • Atingir o público-alvo de topo, meio e fundo de funil;
  • Atrair não só clientes, mas fãs da marca.

Combinando tráfego pago e tráfego orgânico

Ao invés de pensar em tráfego orgânico e tráfego pago como estratégias contrárias, que tal unir o esforço das duas para trazer melhores resultados para a sua empresa?

Como você viu, existem momentos do ano em que o tráfego pago é bastante recomendado, principalmente para empresas de varejo. Mas nos entremeios, com uma boa estratégia de marketing de conteúdo, você garantirá que seus negócios continuem crescendo de forma saudável e contínua.

Considerando que o investimento em tráfego pago é maior, manter o tráfego orgânico sempre em dia também irá contribuir para os “tempos de vacas magras”.

Sem contar que, um tipo de tráfego ajuda a impulsionar o outro. Os dados que coletar em suas campanhas de anúncios podem trazer informações importantes do comportamento e das necessidades do seu público-alvo, o que auxiliará na criação de conteúdo e nas estratégias de SEO.

Da mesma forma, ao atrair as pessoas com conteúdos de qualidade, você automaticamente estará reforçando a sua marca na mente delas, virando uma autoridade e referência no assunto.

Ou seja, entre escolher uma ou outra estratégia, prefira combinar tráfego pago e tráfego orgânico, buscando sempre um equilíbrio saudável de investimento entre um e outro.

Conclusão

Ninguém cria site na internet sem esperar que eles tenham acessos. E quando falamos de negócios online, inevitavelmente caímos na famosa questão do tráfego.

Mas como conseguir gerar tráfego em seu site? Hoje você aprendeu que pode pagar por ele (tráfego pago) ou pode deixar que aconteça espontaneamente (tráfego orgânico).

Cada uma dessas estratégias possuem suas particularidades, seus pontos positivos e negativos. Mas se tem algo que elas compartilham é: dedicação.

Por isso, planeje bem os objetivos do seu negócio, nos canais que deseja atuar e na presença (ou não) do seu público-alvo nas plataformas que quer utilizar.

Se possível, escolha trabalhar com os dois tipos de tráfego: pago e orgânico. Saiba equilibrar o investimento entre um e outro de acordo com o momento do seu negócio.

E se precisar de ajuda especializada no assunto, conte com a Tupiniquim. Somos uma agência de marketing digital com mais de 10 anos de experiência e estamos prontos para te ajudar! Fale com a gente.

Curtiu o artigo? Não guarde só para você. Compartilhe!

Dúvidas Frequentes

O que é tráfego pago?

Também chamado de PPC (do inglês pay-per-click), tráfego pago é aquele que é gerado por meio de cliques em links patrocinados que ficam em posições estratégicas das SERPs, identificados como “anúncio”.

O que é tráfego orgânico?

O tráfego orgânico é todo aquele movimento de usuários que é gerado de forma espontânea. Ou seja, as pessoas acessam o site por iniciativa própria, depois de fazer uma breve avaliação sobre qual link clicar.

Qual é o melhor: tráfego pago ou orgânico?

Os dois tipos de tráfego possuem aspectos importantes que podem se complementar. Por isso, não existe melhor ou pior, tudo depende das necessidades do seu negócio. O recomendável é combinar os tipos de tráfego.

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades e conteúdos relevantes sobre marketing digital e vendas!
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Solicite seu diagnóstico gratuito com nossos especialistas!

1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Solicite seu diagnóstico gratuito com nossos especialistas!

1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder