fbpx

Conquiste mais oportunidades de negócios! Com o nosso guia, saiba tudo sobre Leads, como gerar e gerenciar.

Não é novidade que os consumidores estão mudando sua forma de interagir com as marcas. A exigência cresceu e, com tanta informação disponível na internet hoje, as buscas por produtos ou serviços também passou a refletir esse grau maior de expectativa.

As empresas que entendem que seus consumidores atuais não querem somente consumir um produto, mas também entender melhor sobre ele, estão na frente nesse processo, buscando cada vez mais uma aproximação maior com os clientes.

Mas como começar essa relação? Sabemos que o mar está para peixe e que há diversas oportunidades de negócios nesse grande oceano que é a internet. Mas se jogar sua rede em qualquer lugar, sem pensar estrategicamente, provavelmente não vai ter sucesso.

É para evitar que isso aconteça e ajudar você a conseguir novas oportunidades que preparamos neste post. Vamos mergulhar de cabeça no tema e descobrir como os leads podem fazer toda a diferença para o sucesso da sua empresa.

Confira o que você vai aprender sobre leads:

O que é lead?

De acordo com uma estimativa do HubSpot (já que o Google não disponibiliza esses dados), é calculado que 5,6 milhões de pesquisas são feitas diariamente no maior buscador do mundo. Essas pesquisas são para tudo: desde produtos e serviços, até assuntos cotidianos.

Se a sua empresa já possui um site profissional, que trabalha bem as técnicas de SEO, você já deve estar aparecendo nas páginas de resultados dessas pesquisas. Isso só é possível porque, antes de mais nada, seu site está oferecendo as respostas que os usuários estão buscando.

Com isso, seu site começará a receber acessos de visitantes que ainda não conhecem muito sobre sua marca, seu produto ou serviço.

Se esses visitantes começarem a interagir ou consumir o conteúdo que você oferece, seja porque baixaram download de materiais gratuitos, ou porque pediram informações extras em um chat, esses visitantes passam a ser chamados de leads.

Leads, então, são pessoas que aceitaram ceder seus dados pessoais como e-mail ou telefone, em troca de informações extras que o seu site disponibiliza. Elas estão interessadas no seu produto e querem saber mais sobre ele, ou seja, deixam de ser somente visitantes para virarem potenciais clientes.

Mas para que esses leads virem clientes, sua equipe de marketing digital vai precisar acompanhá-los de perto durante todos os estágios do funil de vendas da sua empresa.

É claro que, para que esse processo seja possível, antes de mais nada é necessário gerar esses leads.

Geração de Leads: por que e como fazer?

Se os leads são potenciais clientes, isso significa que quanto mais leads você tiver, mais oportunidades de vendas terá. Isso por si só já mostra a importância de se gerar leads, não é mesmo?

Dar atenção para a geração de leads é o mesmo que dar atenção à saúde do seu negócio. Afinal, nem todo lead vira cliente. Mas com a geração constante de leads, você consegue manter as portas sempre abertas para novas oportunidades.

Além disso, gerar leads é um processo que permite uma jornada de cliente mais ritmada, onde o lead passa naturalmente pelas etapas do funil de vendas e é melhor orientado para tomar decisões mais assertivas.

Começar a gerar leads para a sua empresa é possível tanto por via do Outbound Marketing quanto por Inbound Marketing.

Geração de leads por Outbound Marketing

Apesar das estratégias de Inbound estarem em grande alta no momento, o Outbound ainda é uma forma eficiente de geração de leads, desde que se leve em consideração alguns pontos importantes.

Um deles é o ICP, ou Ideal Customer Profile (perfil de cliente ideal, em português), que deve estar bem estruturado. Bastante utilizado principalmente em estratégias de empresas B2B, o ICP possui informações complementares às do público-alvo.

Quanto mais segmentado é o perfil do seu cliente ideal, mais você tem chances de trazer leads para o seu funil de vendas, que no caso do B2B, também é conhecido como prospecção de clientes.

Dentre as formas mais comuns de gerar leads por Outbound estão: chamadas frias, disparo de e-mails, campanhas de Google Ads, abordagens diretas via redes sociais como o LinkedIn, e outras.

Apesar de ser uma estratégia que proporciona mais controle e mais rapidez na aquisição de clientes, vale lembrar que talvez muitos deles nem sequer conheçam a sua empresa ou tenham interesse em seu produto. Por isso, tente filtrar ao máximo suas buscas por leads, principalmente no caso de leads B2B.

Geração de leads por Inbound

Gerar leads e inbound marketing é praticamente um casamento perfeito. Isso porque, por meio do marketing de conteúdo (que faz parte das estratégias de inbound), abrem-se muitas possibilidades de atrair leads orgânicos.

Blogs, vídeos, podcasts, webinars, aulas, e-books gratuitos, e outros exemplos, são formas de atrair os clientes para a sua marca. Trata-se de oferecer conteúdo voltado para os interesses do seu público-alvo.

Lembra que mencionamos no começo deste artigo sobre os consumidores atuais estarem mais exigentes com as marcas? Pois então. Não basta apenas querer vender, é preciso também informar e criar um bom relacionamento com seus possíveis clientes.

Para gerar leads orgânicos através das ações do marketing de conteúdo, confira algumas ideias:

1. Criação de Sites em WordPress e Blogs

O WordPress é uma das ferramentas de CMS, conhecidas em português como Sistema de Gerenciamento de Conteúdo, mais utilizadas para criação de site profissional.

A preferência se dá, entre outros motivos, pelos recursos de SEO existentes na plataforma, e também pela compatibilidade com plugins que também facilitam a otimização do site.

Quando você capricha no SEO, possui muito mais chances de aparecer em boas posições nas páginas de resultados do Google (SERPs). Consequentemente, isso ajudará a atrair mais visitantes ao seu site, abrindo novas possibilidades de gerar leads.

Ter um blog também deve vir junto no pacote. É por ele que você vai postar conteúdos informativos e que eduquem seu público-alvo sobre o valor do produto ou serviço ofertado pela sua empresa.

É pelo blog também que, mais que leads ou clientes, você cria fãs. Afinal, se o seu conteúdo é apreciado, as chances do seu site ir parar na barra de favoritos dos visitantes passarão a ser muito maiores, não é mesmo?

O blog tem um efeito poderoso, mas que só se completa quando você utiliza calls to action (CTA), ou chamadas para ação, que motivam seus visitantes a tomarem algumas ações dentro do seu site, como ler conteúdos relacionados, entrar em contato via chat ou baixar materiais gratuitos.

2. E-books e Whitepapers gratuitos

Falando em baixar materiais gratuitos, exemplos excelentes para isso são os e-books e os white papers.

Os dois materiais procuram trazer conteúdo informativo de forma mais aprofundada sobre determinados assuntos. No caso dos white papers, o conteúdo é ainda mais técnico e com mais detalhamento, trazendo gráficos e pesquisas para exemplificação.

Por conta disso, os e-books costumam ser produções menos extensas que os white papers, e levam menos tempo para serem desenvolvidos.

É importante salientar, que tanto um quanto o outro, são excelentes formas de gerar leads B2B e B2C, mas devem ser feitos com bastante qualidade, já que também são jeitos da empresa mostrar seu valor e qualidade para os seus potenciais clientes.

3. Redes Sociais

As redes sociais estão cada vez mais relevantes para o dia a dia das pessoas. Por isso, a presença das marcas por lá passou a ser um requisito básico.

Elas permitem uma relação mais próxima entre marca e público-alvo, já que facilitam as interações entre os dois lados. Também é possível gerar leads pelas redes sociais.

Use o espaço para divulgar conteúdos e links para o seu site ou blog. Também é útil se atentar para os comentários e ver oportunidades para responder ou entrar em contato pelas mensagens diretas.

Para empresas B2B, a dica de ouro é utilizar o LinkedIn como fonte de leads. Não somente pode divulgar conteúdos voltados para o seu perfil de cliente ideal, como também pode utilizar a rede como fonte de pesquisa para engordar o seu ICP.

4. Co-marketing

Co-marketing são parcerias entre duas empresas que possuem públicos-alvo semelhantes e produtos ou serviços que se complementam para criar conteúdo que consiga atrair os públicos de ambas e, assim, propiciar maiores oportunidades de negócios.

Uma marca de massas poderia fazer parceria com uma marca de molho de tomate e desenvolver algum conteúdo com receitas simples de massa com molho vermelho, por exemplo.

Assim, as duas empresas unem esforços para conseguir gerar mais leads, tanto para um lado quanto para o outro.

5. Marketing de Conteúdo

O marketing de conteúdo, um dos alicerces do Inbound Marketing, possui diversas possibilidades que focam em atrair os leads por meio de conteúdo relevante.

Além dos já citados e-books e whitepapers, você também pode explorar conteúdos em vídeos e áudios, aulas, webinars, infográficos, podcasts e muito mais.

Procure entender o seu público-alvo e o que ele busca quando faz suas pesquisas na internet. A partir daí, foque em criar conteúdo voltado para atender às necessidades desse público. Isso traz engajamento com os leads e também credibilidade para a sua empresa.

6. Landing Pages

Também chamadas de páginas de destino, as landing pages são feitas exclusivamente para gerar leads.

Se você tem um material gratuito, um webinar ou qualquer outro dos exemplos que já mencionamos neste artigo, você pode usá-los em combinação com a landing page para converter seus visitantes em leads.

A landing page, portanto, é uma página com poucos elementos visuais, onde a Call to Action (CTA) deve ser um dos pontos de destaque. O objetivo é motivar os visitantes a aceitarem a disponibilizar seus dados (como telefone e e-mail) em troca de algum conteúdo ou oferta.

Objetivo cumprido, o resultado virá e você terá muitos leads para trabalhar. Mas para que seus esforços estejam sempre dedicados aos leads com chances reais de se converterem em clientes, é preciso qualificá-los.

Dica de leitura: Landing Page: o que é e como fazer para converter mais?

Qualificação de leads

A qualificação de leads é o processo de identificação dos leads que possuem mais chances de prosseguir pelo funil de vendas e de se converterem em clientes. Isso porque, dentre todos os leads gerados, nem todos vão atender aos critérios da sua buyer persona (ou perfil do cliente real da empresa).

Os leads que não atendem a tais critérios devem ser desqualificados. Desqualificar um lead nem sempre significa descartá-lo totalmente, mas apenas encaminhá-lo para o grupo de leads que ainda não estão prontos para a compra e que devem ser nutridos por mais algum tempo.

Fazer a qualificação e desqualificação de leads é fundamental para qualquer estratégia de marketing, pois permite que tanto as equipes de marketing e de vendas possam dedicar seus esforços naqueles leads que têm reais chances de se tornarem clientes.

Além disso, também é uma maneira eficiente de entender o momento de cada lead no funil de vendas e, portanto, como eles devem ser abordados eficientemente pelas equipes.

Funil de Vendas e Tipos de Leads

Bastante usual nas estratégias de marketing, o funil de vendas é uma forma de tornar visual toda a jornada de compra do cliente. Dividido em estágios de topo, meio e fundo, através do funil é possível traçar as estratégias mais adequadas para cada tipo de lead.

Os leads podem ser divididos de quatro formas:

– Marketing Qualified Leads (MQLs)

Esses leads devem ser trabalhados pela equipe de marketing, pois estão no topo do funil, e representam aquelas pessoas que entraram em contato com a empresa, trocando dados pessoais por conteúdo ou informação extra ou até mesmo por meio de alguma interação em rede social.

A abordagem desses leads deve ser feita com cautela, já que, por serem de topo de funil, ainda não estão prontos para a decisão de compra.

– Sales Qualified Leads (SQLs)

Os Sales Qualified Leads já estão um pouco mais avançados no funil, pois já demonstraram um nível de interesse mais elevado pelo produto ou serviço ofertado, buscando informações mais específicas, como pedidos de orçamento, por exemplo.

Isso significa que os SQLs podem ser trabalhados pela equipe de vendas, que vai iniciar abordagens mais direcionadas à conversão.

– Product Qualified Leads (PQLs)

Se a sua empresa possui algum produto ou serviço disponível para um período de teste gratuito ou amostra grátis, as pessoas que solicitarem por esse serviço serão suas PQLs.

Em outras palavras, são leads que já conhecem o seu produto na prática e, por tanto, possuem uma opinião mais sólida sobre ele.

Por conta desse fator, geralmente esses leads entram em contato com a equipe de vendas antes mesmo do contrário acontecer. Mas caso não seja assim, algumas ações dos leads durante o período de uso do produto podem demonstrar que eles estão prontos para serem abordados.

– Service Qualified Leads (SQLs)

Apesar da sigla ser a mesma de Sales Qualified Leads, os Service Qualified Leads são aquelas pessoas que já adquiriram o seu produto ou serviço, ou seja, já são clientes da sua empresa.

São leads de fundo de funil e devem receber atenção constante do pós-venda. É geralmente o tipo de lead que recebe ofertas de upsell (propostas para que o cliente adquira uma versão superior da que ele pensa em comprar) e cross-sell (proposta de produtos complementares a que o cliente já adquiriu ou vai adquirir).

Como qualificar os leads?

Compreendido a necessidade da qualificação de leads e os tipos em que eles podem ser divididos, o próximo passo agora é aprender como qualificar todos eles.

Existem vários métodos para isso, mas o mais eficiente deve ser aquele que está alinhado com as necessidades da estratégia da sua empresa. Isso porque cada empresa possui um tipo de cliente ideal, com funil de vendas específicos.

De forma geral, existem observações que podem ser feitas para qualificar ou desqualificar um lead. Alguns exemplos delas seriam:

  • Os leads podem atender suas necessidades e dores com o produto ou serviço da minha empresa?
  • Possuem a condição financeira desejada para fazer a compra?
  • Atendem aos critérios do perfil de cliente ideal da empresa?
  • São leads em condições para tomar decisões de compras?
  • Em qual momento da jornada de compra esses clientes se encontram?

Você pode utilizar essas e outras perguntas para nortear o seu processo de qualificação de leads. Mas é importante lembrar que não existe um método fixo para isso.

Como mencionamos, cada negócio é diferente. Por isso, é necessário que cada empresa crie sua metodologia própria para qualificar e desqualificar leads.

No final das contas, ainda que haja algumas diferenças, existem pontos em comum nos leads de cada empresa. Entendendo esse padrão, é possível traçar o seu método próprio de qualificação.

Lead Scoring para qualificar leads

O Lead Scoring (pontuação de leads, em tradução livre) é uma ferramenta de qualificação de leads que atribui pontuação para definir quais leads devem ser encaminhados para o marketing, quais devem seguir para a equipe de vendas e quais devem ser desqualificados.

Os critérios para definir essa pontuação devem ser baseados no seu perfil de cliente ideal (ICP) e de quaisquer outras informações que complementem esse perfil.

Com esses critérios definidos, é possível atribuir pontos para cada lead. Por exemplo, se o lead possui cargo de tomador de decisão, se faz parte de uma região em que a sua empresa atua ou até mesmo se possui orçamento para fechar o negócio. Cada uma dessas informações terá uma pontuação.

Dependendo dos critérios que a sua empresa definir, será possível encaminhar os leads para serem trabalhados pelas equipes de vendas ou de marketing, levando-se em conta a pontuação atribuída a cada lead.

O Lead Scoring é, então, mais uma forma de otimizar os trabalhos das equipes de venda e de marketing para que elas foquem nos leads mais promissores.

Esse método de pontuação de leads pode ser utilizado de forma manual, mas existem várias opções de ferramentas de automação de marketing no mercado com recursos de Lead Scoring atualmente, como RD Station, HubSpot, Pipedrive, entre outras.

Lembre-se, seja pelo Lead Scoring ou por qualquer outra metodologia e critérios que você queira utilizar, elas devem ser planejadas levando em conta a sua empresa. Por isso, é importante reunir tanto a equipe de vendas quanto a de marketing para uma definição mais assertiva de como pontuar seus leads.

nutrição de leads

Nutrição de leads (lead nurturing)

Com tudo o que foi dito até agora, você já deve ter percebido que gerar leads é só a ponta do iceberg. Até porque, leads ainda não são clientes. Mas eles podem ser desde que você nutra-os adequadamente.

A nutrição de leads tem o papel de auxiliar os leads captados a prosseguir pelos próximos estágios do funil de vendas. Isso porque, lá no primeiro estágio, o lead ainda está descobrindo o que a sua empresa tem a oferecer, e talvez não tenha as informações que ele precisa para decidir se o seu produto é a solução que ele precisa.

Além disso, apesar de chamá-los de leads, ainda é importante lembrar que estamos lidando com pessoas, que podem se distrair e esquecer da sua marca com facilidade.

A nutrição permite que isso não aconteça, mantendo os leads firmes em suas trajetórias no funil. É claro que o objetivo é que eles se convertam em clientes, mas também é importante construir uma relação de confiança entre o lead e a sua marca.

Como fazer a nutrição de leads?

Em se tratando de nutrir leads, existe uma ferramenta bastante utilizada no meio que é o fluxo de nutrição, uma maneira automatizada de envio de e-mails para os leads captados.

Esses e-mails devem levar em conta a sua lista previamente segmentada de leads, que contenha informações condizentes com o estágio do funil de vendas em que eles se encontram.

O conteúdo desses e-mails deve ser personalizado para cada grupo de lead, e ir sendo aprofundado gradativamente, para que cada vez mais o lead aprenda sobre o seu produto ou serviço.

Para fazer um fluxo de nutrição eficiente, você pode seguir os seguintes passos:

  • Identifique o objetivo dos seus e-mails: nada na vida se começa sem um objetivo estabelecido, por isso o primeiro passo é identificar o que você deseja oferecer para seus leads e quais as ações que espera que eles façam. Talvez assinar uma newsletter? Ou baixar algum material?
  • Saiba para quem está enviando: utilize sua persona para desenvolver um conteúdo mais específico. Quanto mais informações você tiver sobre ela, melhores as chances de fazer e-mails mais atrativos.
  • Eleve o nível do seu conteúdo a cada e-mail: a conversão do lead só vai ser possível se você utilizar conteúdos cada vez mais diferenciados nos seus e-mails. Conforme o lead vai aumentando o seu interesse pelo o que você tem a oferecer, você deve produzir conteúdos com informações mais específicas do seu produto.
  • Determine a frequência de envios: ninguém gosta de receber e-mails a todo instante. Exagerar nos e-mails pode ser um tiro no pé. Mas também evite dar um intervalo muito grande entre um e-mail e outro. Encontre o equilíbrio e mantenha uma frequência de envios saudável.
  • Reflita sobre os resultados: é sempre importante analisar o que deu certo e o que deu errado nas suas campanhas. Com o fluxo de nutrição não é diferente. Por isso, dedique-se a entender os resultados dos seus envios e veja o que pode ser melhorado.

Você sabe que sua nutrição está sendo bem feita quando, mais que clientes, consegue pessoas satisfeitas com a sua marca. Afinal, mesmo que alguns leads não decidam pela compra agora, quando estiverem prontos para isso é a sua marca que aparecerá como primeira opção.

Sem contar que, ao oferecer conteúdo de qualidade, ofertas e descontos especiais, seus leads podem passar a indicar sua empresa para outras pessoas, e assim expandir ainda mais as suas chances de venda.

Concluída essa etapa, se seu lead ainda não estiver pronto para seguir para o fundo do funil, ele deve permanecer com a equipe de marketing para que o trabalho da nutrição continue.

Caso ele já esteja pronto, deve ser encaminhado para a equipe de vendas, que iniciará a próxima etapa: a conversão.

Como converter leads em clientes?

Tudo o que foi feito até aqui foi para garantir um momento muito importante para o seu negócio, que é a conversão de leads em clientes.

De nada adianta ter um grande volume de leads, se eles não conseguem prosseguir para os próximos estágios do funil de vendas.

Claro, como já mencionamos, dificilmente você conseguirá que todos se tornem clientes. Mas é justamente para prepará-los para esse momento, que as etapas anteriores existem.

Agora que seu lead já está com as informações que ele precisa sobre seu produto ou serviço e já criou uma relação com a sua empresa, ele está pronto para ser abordado de forma mais direta pela equipe de vendas.

É importante lembrar, no entanto, que mesmo que seu lead já esteja bem informado, isso não é garantia de que ele esteja totalmente seguro para fechar o negócio. Então, é necessário que a equipe esteja preparada para dar informações extras.

Para fazer isso com louvor, reúna todas as informações do possível cliente que foram coletadas pela equipe de marketing durante as outras etapas, e as repasse para a equipe de vendas.

Dessa forma, as abordagens poderão ser mais personalizadas e focadas nas dores daquele lead em específico.

A abordagem personalizada pode ser feita tanto para leads B2B quanto para leads B2C. No primeiro caso, é possível personalizar ainda mais o contato com o possível cliente. Isso porque as estratégias de prospecção B2B focam desde o início na segmentação robusta de seu perfil de cliente ideal.

Quanto mais informações você tiver sobre seus leads, maiores são as chances de você mostrar para eles que é a sua empresa que possui as melhores soluções para o que eles buscam.

Gestão de Leads e CRM

Todas as etapas que você aprendeu até agora, desde a geração de leads até a conversão deles em clientes, fazem parte da gestão de leads.

Gerenciar leads não se trata apenas de organizá-los, mas de acompanhá-los em suas interações com a marca e buscas por informações, de nutri-los com conteúdos atrativos e de estreitar o relacionamento entres eles e sua empresa.

É para ajudar você nessa missão, que existem as ferramentas de CRM, ou Customer Relationship Management, também chamadas em português de Gestão de Relacionamento com o Cliente.

Esses softwares possuem recursos para auxiliar no processo de captação e de gestão de leads, automatizando e otimizando todas as etapas pelas quais o lead passa até ser convertido em cliente.

Com essas ferramentas, é possível organizar dados dos contatos, elaborar fluxo de nutrição, acompanhar as interações do lead com a empresa, utilizar lead scoring para qualificação, além de análise de resultados e outros recursos.

Algumas opções para você considerar são:

  • RD Station: uma ferramenta de automação de marketing digital que possui vários recursos para nutrição de leads, lead scoring, além de outras funcionalidades para gestão de leads.
  • Pipedrive: esse software de CRM facilita a automatização de tarefas mais comuns, como agendamento de reuniões e telefonemas, e também propicia um gerenciamento de leads e de vendas mais eficiente.
  • MailChimp: inicialmente uma ferramenta voltada apenas para E-mail Marketing, o MailChimp evoluiu e hoje também é um CRM completo, oferecendo diversos recursos para gestão de leads.
  • HubSpot: é um pacote com diversas ferramentas voltadas para o marketing digital. Dentre elas, a plataforma de CRM gratuita se destaca pelos ótimos recursos de relacionamento com o cliente.

Dicas finais sobre seus leads

Em sua jornada pela geração de leads, muitos vão e deverão ser desqualificados. É importante manter o foco naqueles que realmente representam uma possibilidade de negócio. Só assim você irá conseguir fazer uma nutrição de leads com mais chances de sucesso.

Converter leads em clientes pode não ser a tarefa mais fácil do universo, mas também não precisa ser a mais difícil. Abrace todas as etapas de gestão de leads, utilize ferramentas de automação e CRM e mantenha suas equipes sempre em contato uma com a outra.

Mantenha em mente que o trabalho não acaba na conversão de clientes. Por isso, esforce-se para continuar deixando os clientes satisfeitos mesmo após a compra.

Assim, eles não somente vão voltar a fazer negócios com você, como também indicarão sua empresa para outros. É o que chamamos de Referral Marketing, ou marketing de indicação.

Para estimular essa indicação, ofereça vantagens para o cliente indicar a sua marca para outras pessoas, como brindes e descontos.

É quase como uma parceria, certo? E falando nisso, se precisar de uma agência de marketing digital para ser sua parceira na busca por leads e novas oportunidades de negócios, a Tupiniquim está aqui para você. Fale com a gente e alcance novos clientes!

Curtiu o post? Aproveite e compartilhe com seus amigos e amigas!

Dúvidas Frequentes

O que são leads?

Os leads são aqueles visitantes que interagiram de alguma forma com a sua marca, demonstraram interesse por seu produto ou serviço e passaram a integrar a lista de potenciais clientes. Ou seja, leads são oportunidades de negócio.

Como captar leads?

É possível captar ou gerar leads através das estratégias de Outbound Marketing (chamadas frias, disparo de e-mails, campanhas de Google Ads, etc.) e de Inbound Marketing (blogs, vídeos, podcasts, webinars, aulas, e-books gratuitos, e outros exemplos).

O que é a nutrição de leads?

A nutrição de leads tem o papel de auxiliar os leads captados a prosseguir pelos próximos estágios do funil de vendas. O fluxo de nutrição é uma ferramenta utilizada para enviar conteúdos relevantes por e-mail aos leads e assim mantê-los interessados pela empresa.

Como converter leads em clientes?

Para converter leads em clientes, reúna todas as informações do possível cliente que foram coletadas pela equipe de marketing e as repasse para a equipe de vendas. Dessa forma, as abordagens poderão ser mais personalizadas e focadas nas dores daquele lead em específico, aumentando as chances de conversão.

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades e conteúdos relevantes sobre marketing digital e vendas!
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Solicite seu diagnóstico gratuito com nossos especialistas!

1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Solicite seu diagnóstico gratuito com nossos especialistas!

1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder