Skip to main content

Link interno é uma parte importante das técnicas de SEO, mas que é menosprezada em muitos sites. Saiba por que você deve dar atenção para isso e como fazer através deste post.

Atualizado em 14 de setembro de 2022

Você já pensou na importância de inserir links internos nas páginas do seu site? Muitas pessoas negligenciam essa estratégia e acabam gastando muito mais tempo e esforço atrás de links externos. Mas a verdade é que construir essa rede de links dentro do seu próprio site também é essencial para quem investe nas técnicas de SEO.

SEO, ou Search Engine Optimization, é uma das estratégias de marketing digital  que não podem ficar de fora para quem possui um site ou blog, já que faz total diferença quando falamos em posicionamento no Google. Afinal, de nada adianta ter o site mais incrível de todos os tempos se ele não é encontrado pelas pessoas, certo?

Mas para conseguir isso, as técnicas de SEO atuam em diferentes frentes, como a pesquisa e utilização de palavras-chave relevantes, criação de conteúdo de qualidade, responsividade para dispositivos móveis, otimização de imagens e elementos visuais, aquisição de links externos e inclusão de links internos.

As linkagens internas melhoram a experiência do usuário no seu site, fazendo com que as suas páginas sejam mais acessíveis não só aos olhos dos visitantes e potenciais clientes, mas dos buscadores também. A Tupiniquim, uma agência de SEO especialista no assunto, preparou este guia simplificado para que você entenda a importância dos links internos e algumas dicas para inseri-los em seu site. Acompanhe!

Confira o que vai ler sobre links internos:

Estrutura do site

Podemos considerar a estrutura do site como sendo uma pirâmide. Em seu topo está a home page do site e na base estão outros elementos. Veja possíveis páginas que preenchem a pirâmide dos sites:

Topo: Home page.

Base: Sobre, Serviços,  Produtos, Metodologia, Blog  Cases de sucesso.

Essas são categorias que normalmente os sites utilizam para dividir o conteúdo. Dentro dessas categorias, existem páginas como os serviços e produtos que a empresa oferece, artigos do blog e mais.

Sabemos que os links internos direcionam os usuários para diferentes páginas do site, porém existem dois tipos de links internos que você precisa conhecer.

Links internos contextuais

Já os links contextuais são todos os links internos que você insere de acordo com o teor da página. Ao longo deste artigo que você está lendo, por exemplo, deve ter notado vários textos clicáveis. Se olhar para cada um deles, verá que eles estão de acordo com o contexto desta página.

Se você estiver apenas começando um blog, muito provavelmente não terá muitos links contextuais para inserir. Mas se mantiver uma produção constante, com certeza terá mais links relevantes para incluir em seus artigos no futuro.

2. Texto âncora

O texto âncora nada mais é do que o pequeno texto que acompanha o link. De modo geral, inclui-se a palavra-chave principal relativa à página de destino do link, que pode ser de correspondência exata ou parcial.

O texto âncora de correspondência exata é quando é incluído somente a palavra-chave principal (Ex.: Conheça nossos serviços de marketing digital). Já o de correspondência parcial, inclui a palavra-chave em uma frase (Ex.: Conheça nossos serviços de marketing digital).

Não existe opção melhor ou pior. O importante é sempre manter seu texto âncora o mais claro possível para que os usuários consigam identificar facilmente o que elas vão encontrar ao clicarem no link. Os mecanismos de busca conseguem identificar quando isso não está sendo feito de maneira correta, penalizando o site em questão.

Lembre-se de que o Google lê o seu conteúdo, então crie âncoras naturais com palavras-chave e termos que apontem para páginas relacionadas.  Evite as CTAs (call to action) genéricas como “clique aqui” e “saiba mais” e priorize sempre os textos âncoras com contextos mais descritivos.

3. Arquivo com os principais links internos

Se o seu site ou blog possui muitos conteúdos, fica mais difícil lembrar de todos que já foram produzidos. Nesse caso, você pode acabar esquecendo os artigos antigos e só usar links internos dos mais recentes.

Para que todos os seus posts tenham a possibilidade de serem encontrados facilmente, você deve mapear todos os seus artigos e páginas, criando um documento com os principais tópicos. Sempre antes de publicar o conteúdo, identifique se há algum link interno que seja relevante para inserir no texto.

Aqui na Tupiniquim, por exemplo, temos um arquivo de fácil acesso que separa por categoria todos os nossos artigos já publicados. Dessa forma, ao desenvolver um novo texto sobre determinado tema, conseguimos achar facilmente todos os artigos e fazer a linkagem de acordo com a necessidade.

4. Utilize links externos

Os backlinks ou links externos também são um ótimo recurso para o seu conteúdo. É também um fator de ranqueamento que o Google leva em consideração na hora de classificar a sua página.

Eles são os links que apontam para uma outra página que não é do seu site, “transferindo” autoridade para outros sites relevantes e aumentando as referências disponíveis para o usuário. O mesmo vale para sites que fazem links apontando para o seu conteúdo.

Existem algumas estratégias para conseguir backlinks de forma mais natural possível, mas um bom jeito de chamar a atenção de sites relevantes e que façam parte do mesmo segmento que o seu, é incluir links em seu próprio site para eles. Desde que seja algo que irá agregar para a vida dos seus usuários, essa é uma forma eficaz de linkagem externa.

5. Quantidade necessária de links internos

Você pode até encontrar alguns artigos que digam um número específico de links que podem ser incluídos em uma página de website. Mas a verdade é que não existe uma quantidade exata.

Ao inserir links, o mais importante é sempre considerar ao menos dois pontos: relevância e extensão do conteúdo. Como já mencionamos, seus links internos precisam sempre ter uma motivação, guiando seu usuário para uma página com conteúdo complementar. Mas caso você tenha muitos links que gostaria de inserir, haja com bom senso e separe somente os que são prioridades.

Lembre-se que cada link inserido recebe uma parte da autoridade da página. Por isso, quanto mais links, mais essa autoridade é dividida.

6. Atualize artigos antigos com novos links internos

Os rastreadores do Google, conhecidos como Googlebot ou Spider, estão sempre vasculhando a internet em busca de novos conteúdos. Por isso, atualize seus posts mais antigos com frequência para que eles sejam indexados novamente.

Veja três pontos importantes para atualizar os seus posts:

  • Adicione novos parágrafos com informações atualizadas;
  • Identifique e retire do artigo informações ou dados que não possuem mais relevância;
  • Insira novos links internos de conteúdos que você tenha produzido recentemente, mas não se esqueça que os links precisam fazer sentido.

Seguindo esses passos básicos, o seu conteúdo pode ganhar um novo posicionamento nos motores de busca.

7. Coloque links para páginas com altas conversões

Identifique as páginas do seu site ou blog que convertem mais visitantes e adicione links internos nelas. Já que links passam autoridade, essa é uma forma válida de aumentar a relevância de páginas que não estejam conseguindo ganhar boas posições nos buscadores.

O ponto de atenção, no entanto, continua sendo para sempre manter links contextualizados para evitar um resultado negativo.

8. Fique de olho em links quebrados

É muito comum ter campanhas e outras ações que rodam por um determinado período de tempo em um site ou blog. Nessas horas, inserimos links relevantes que eventualmente também irão expirar.

Procure não deixar isso cair no esquecimento. Quando uma página sai do ar, seja por qual motivo, e você ainda mantém links para ela, isso pode prejudicar muito a pontuação de SEO do seu site. Por isso, sempre localize os links quebrados e faça as alterações necessárias.

Dúvidas Frequentes

O que é link interno?

Os links internos são aqueles que direcionam o leitor para uma outra página do seu próprio blog ou site. São chamados de links internos por possibilitarem a transição de um artigo já existente no seu site para um novo artigo que possa complementar no assunto.

O que é link juice?

O link juice é definido como uma parte dos critérios de otimização do PageRank, que é um algoritmo que classifica a relevância dos links.
Basicamente, o link juice distribui as “forças” de um link para o outro. Quando o seu site insere um link na sua home page, parte da autoridade dessa página é distribuída para as páginas que estão sendo linkadas. A mesma coisa acontece quando um artigo seu tem links que apontam para outras páginas.

O que é um link interno navegacional?

Por exemplo: quando você clica na palavra “blog” da barra de navegação, você é direcionado para a página de artigos ou posts daquele site. Isso também acontece quando você quer conhecer mais a empresa e clica em “sobre”. O objetivo dos links navegacionais é facilitar a navegação do usuário para que ele encontre mais rápido o que deseja.

O que é link interno contextual?

Eles são os links que estão dentro dos textos âncoras e apontam para outras páginas relacionadas com conteúdo relevante.

Web Stories:

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades e conteúdos relevantes sobre marketing digital e vendas!
1 Step 1
reCaptcha v3
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Solicite seu diagnóstico gratuito com nossos especialistas!

1 Step 1
reCaptcha v3
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Solicite seu diagnóstico gratuito com nossos especialistas!

1 Step 1
reCaptcha v3
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder
3 exemplos de Marketing emocional 4 Dicas para fazer Marketing emocional 4 Emoções poderosas no Marketing emocional 3 curiosidades sobre o omnichannel 4 dicas para aplicar o omnichannel 4 benefícios do omnichannel 4 benefícios de anunciar no Google Ads 4 dicas para criar conteúdo no Pinterest Pinterest: 4 formatos de Pins na Conta Business 3 exemplos de métricas de Google Ads 4 principais redes sociais para a sua indústria 4 benefícios do Google Ads para o Marketing Industrial 4 cursos de vendas para alavancar seus resultados 3 dicas sobre Marketing Digital 4 livros de Marketing Digital para te inspirar 4 dicas para melhorar o CTR dos seus anúncios 3 cases de Marketing Digital B2B da Tupiniquim 5 estratégias de Marketing Digital B2B 4 motivos para investir em Branding com a Tupiniquim 3 Exemplos de Marketing de Conteúdo