fbpx
Você quer saber como construir chamadas para a ação que conquistem os usuários e os direcionem da maneira mais clara possível? Aprenda tudo o que você precisa saber sobre como fazer uma boa CTA neste post!

Convencer alguém a fazer qualquer coisa é uma tarefa extremamente desafiadora, não é mesmo? E quando trabalhamos com uma call to action dentro do marketing digital, todo o nosso poder de convencimento é colocado a prova.

As calls to action são as chamadas responsáveis por causar algum tipo de impacto nos usuários para que eles tomem uma atitude específica e podem existir em diversos formatos, como em textos ou imagens.

Se você ainda não está familiarizado com a construção de call to actions que funcionem de verdade – ou até mesmo é um iniciante nas práticas do marketing digital e quer aprender sobre call to action do zero, este post é para você!

Você aprenderá a como desenvolver as melhores CTA e a como utilizá-las para gerar mais leads para a sua empresa. Então, continue a leitura!

Navegue e aprenda o que é call to action e a como criar boas CTAs

O que é call to action?

O termo call to action é estrangeiro e em tradução livre do inglês significa “chamada para ação”.

Uma CTA se trata de um recurso que é utilizado para chamar a atenção dos usuários para um ponto específico do conteúdo e realizar uma ação específica que o autor espera que ele tome.

Esses recursos podem ser tanto textuais quanto visuais e cumprem com a missão de alimentar a sua base com novos leads.

Existem diversos tipos de call to action para serem utilizadas em situações diferentes. Mais abaixo neste post você verá alguns exemplos do que pode ser feito.

De maneira simplista, uma CTA é o que irá guiar o seu leitor para os próximos estágios do seu funil de vendas. Para que isso aconteça, é necessário que ela seja o mais atrativa possível, para que consiga capturar a atenção do leitor enquanto transparece a sua oferta.

Vamos dar uma olhada em alguns exemplos de call to action?

Exemplos de call to action em nosso cotidiano

Como citamos anteriormente, uma call to action pode ser entregue ao público das mais diferentes formas possíveis – e você provavelmente se depara com inúmeras delas diariamente, mesmo que não perceba.

Podemos fazer um paralelo com as placas de trânsito que você vê no cotidiano. Elas te direcionam a fazer curvas, reduzir a velocidade e até mesmo te alertam a não realizar ultrapassagens, pois o estrago pode ser grande.

O mesmo acontece com as CTAs, elas podem te direcionar a outros conteúdos, te levar a fazer o download de algum conteúdo e até mesmo te convencer a entrar em contato para evitar riscos que a sua empresa pode estar correndo. Percebe a semelhança?

Quer ver alguns exemplos?

Você é assinante de algum serviço on-demand? Se sim, provavelmente você utilizou algum tempo desse serviço de maneira gratuita, como é o caso da Amazon Prime na imagem acima.

É bastante comum nos depararmos com ofertas de serviços gratuitos por tempo limitado ao navegarmos pela internet. A oferta de algum tipo de prévia de serviço ou de conteúdo totalmente de graça é bastante efetiva na hora de convencer os usuários a realizarem algum tipo de cadastro.

Um outro exemplo parecido é o download de algum material de maneira gratuita, como você pode ver na imagem abaixo, onde a Tupiniquim oferece um e-book gratuito na troca de dados do leitor:

Outro caso bem comum é a utilização de call to actions em forma de texto como “ganchos” para outros posts, mantendo o leitor mais tempo dentro do seu site e aproximando ele dos conteúdos que você publica. Você pode conferir na imagem abaixo um CTA utilizado em um post da Electi Serviços sobre recrutamento e seleção:

Há outros casos mais específicos onde você pode criar um senso de urgência no público, como neste CTA da RD Summit que chama os usuários para um evento que acontecerá e possui vagas limitadas:

E agora, consegue identificar alguns CTAs que estão presentes na sua rotina? Apostamos que você deve estar se recordando de vários neste momento.

Para começarmos a entender como construir uma boa call to action, precisamos entender como é o processo de captura da atenção dos usuários. Então, vamos lá!

Como é feito o processo de conversão com uma CTA? Conheça a técnica AIDA!

Dentro da área de comunicação, existe um conceito que define quais são as etapas que uma pessoa passa ao entrar em contato com algum tipo de chamada até tomar uma decisão.

Esse conceito é chamado de AIDA, e diz respeito a quatro estágios específicos: a captura da atenção do usuário, o despertar do interesse, o surgimento do desejo dele e a ação que ele enfim tomará a partir do chamado recebido.

Um bom CTA deve se apoiar nessas etapas para cumprir o seu propósito. Veja como cada etapa da técnica AINDA se encaixa com um CTA:

  • Atenção: é a hora de ser chamativo e de saltar nos olhos dos usuários. Seu CTA é um botão? Então garanta que as cores utilizadas e o espaçamento façam com que ele se destaque.
  • Interesse: o seu CTA já garantiu a atenção do usuário e, se ele estiver ligado diretamente ao conteúdo onde está inserido, você fomentará o interesse do leitor em saber mais.
  • Desejo: o que levará o seu leitor a querer clicar nesse botão? O que ele agrega ao usuário que está lendo o conteúdo? Faça com que o CTA tenha sentido para o usuário e você o direcionará para o último passo, que é…
  • Ação: após considerar e ser convencido efetivamente pelo botão, o usuário decide clicar – o que finaliza a conversão.

Aplique essa técnica de construção aos diferentes modelos de CTA existentes e você conseguirá entender como despertar a atenção do seu público-alvo com mais facilidade!

Como desenvolver os textos de uma boa CTA

Uma call to action não funcionará da maneira que deve se ela estiver fora do contexto de onde está sendo inserida. Como assim?

Digamos que a sua página fale sobre a importância do SEO em uma estratégia de marketing. O esperado é que as CTAs desta página falem do mesmo assunto e resumam a ideia geral, algo como “Faça agora mesmo uma auditoria SEO gratuita no site da sua empresa” ou “Quero uma análise SEO gratuita”.

Agora, imagine que após ler um post todo sobre a importância do SEO você se depare com a seguinte call to action: “Garanta o seu ebook sobre anúncios do Google”. Não parece muito funcional, não é mesmo?

Na hora de desenvolver os seus CTAs, preste atenção ao tamanho do texto. O quanto mais objetivas forem as suas chamadas, melhor será a quantidade de conversões.

Seja extremamente direto e claro na hora de mostrar o que o usuário precisa fazer. “Faça o download”, “Se inscreva”, “Assine”, “Receba” são bons exemplos disso. Lembre-se de também mostrar nas CTAs o que ele irá obter em troca.

A utilização de dados específicos pode deixar a sua CTA mais atrativa, como por exemplo: “Garanta o seu desconto de 50%”.

E por último, mas não menos importante: entenda o que faz sentido para o público. Para saber o que você deve oferecer e como oferecer para os usuários, é preciso compreender quais são os seus interesses e suas necessidades.

Agora, vamos dar uma olhada nas formas que uma call to action pode se apresentar?

Formatos mais comuns de call to action

Como você quer que os usuários visualizem a sua call to action? Qual é o formato que faz mais sentido para atrair a atenção desses leitores?

Separamos aqui alguns exemplos dos modelos de CTA que são mais utilizados nos dias de hoje, dê uma olhada e veja qual é o ideal para a sua empresa:

Banners e laterais

O banner é uma imagem em uma área destacada das páginas, geralmente acompanhada de um botão menor, com alguns detalhes do que você poderá obter ao realizar a conversão.

É mais detalhado e deve ser o elemento mais chamativo da página. Caso você queira que ele fique o tempo todo visível para o público, é possível fazer a utilização de um banner lateral, que acompanhará o usuário ao longo da leitura dos conteúdos da página.

Textos com links

Ao longo dos textos, você pode criar chamadas mais extensas que direcionem os usuários para outros lugares do site, para alguma página específica ou até mesmo para algum formulário de contato.

Os textos precisam ser inseridos com naturalidade para não causarem o efeito contrário do desejado.

Mesmo que as chamadas em texto permitam uma quantidade de caracteres maiores, é recomendado que você não abuse e mantenha a mensagem das suas CTAs o mais clara possível.

Imagens no meio de textos

De maneira parecida com o que acontece com os banners, você pode apelar para os recursos visuais para capturar a atenção do leitor.

Inserir artes com descrições e boas chamadas com links no meio dos conteúdos funcionará da mesma forma que os links nos textos.

Crie artes que induzam o leitor a cumprir com a ação desejada em poucos segundos para que seja um sucesso.

Botões

A forma mais tradicional de se construir uma CTA é através da utilização de botões. Esse tipo de CTA pode ser encontrado em materiais como páginas de conversão, e-mail marketing, formulários e até mesmo em lojas virtuais.

Os botões são uma das maneiras mais eficazes de se converter um leitor, pelo fato de unirem o destaque visual e a objetividade. Planeje com cuidado onde cada um dos botões será inserido e você terá ótimos resultados – recomendamos que eles fiquem antes do final da página, no caso de posts.

Onde utilizar suas CTAs

Você já entendeu o que é e como construir uma boa call to action, então agora é hora de definir quais serão os canais onde você aplicará o que você aprendeu aqui, certo?

Entender onde utilizar as call to action e qual o formato que funciona melhor no contexto desejado é essencial para que você consiga o melhor dos mundos nos resultados obtidos. Utilize CTAs em:

Anúncios

A efetividade dos anúncios está intrinsecamente ligada a qualidade das call to actions e do texto.

Trabalhe com poucas palavras, seja direto e aplique a técnica AIDA nos seus anúncios de Google Ads para que eles te tragam um bom retorno.

Blog

Para quem você direciona os posts da sua empresa? Independentemente da resposta, sempre há algo que pode ser oferecido para o lead, de acordo com o estágio no qual ele se encontra no funil de vendas.

Aproveite o espaço em suas publicações no blog para inserir call to actions que façam com que ele avance no funil e possa se familiarizar com outros conteúdos mais avançados.

Campanhas de e-mail marketing

Os seus e-mails marketing são a melhor maneira de fazer a utilização de CTAs em formato de texto, pois possibilitam uma “conversa” mais direta com os usuários.

Com botões, imagens ou texto, foque em diferentes e-mails para cada uma das etapas do funil e adapte as call to actions.

Homepage do seu site

Por mais que seja o primeiro contato daquele usuário com a sua marca, se ele chegou ao seu site significa que possui interesse naquilo que você pode oferecer, em algum nível.

Aqui, utilize call to actions que fisguem esses usuários recém-chegados e os direcione para conteúdos mais específicos que podem ter a ver com o motivo da chegada deles, ou ofereça algum tipo download para ter acesso aos dados deste usuário e transformá-lo em um lead.

Landing Pages

Suas páginas de conversão devem obrigatoriamente conter boas call to actions. Afinal de contas, o objetivo delas é converter, certo?

Crie CTAs que sejam chamativas e diretas para conseguir diferentes dados, dependendo da sua estratégia de marketing digital – e abuse de botões em suas landing pages.

Materiais ricos

O seu lead já baixou os seus conteúdos e está absorvendo tudo aquilo. É uma ótima oportunidade utilizar o espaço desses materiais para inserir chamadas para outros materiais relacionados.

Capriche na ligação entre os temas para que o interesse dele nos seus conteúdos se mantenha ativo.

Outras páginas do site

Todas as páginas do seu site podem possuir CTAs diferentes, com objetivos diferentes também.

Lembre-se de alinhar os textos das call to actions com os conteúdos dessa página para que não pareçam deslocadas por lá.

Que tal convidar os usuários a se inscreverem na sua newsletter?

Publicações em redes sociais

As redes sociais são uma ótima porta de entrada para que o público conheça o seu conteúdo e serão responsáveis por grande parte do engajamento com a sua marca.

Utilize de maneira inteligente as chamadas dentro das suas publicações nas redes sociais e faça proveito da facilidade com que as coisas podem ser compartilhadas.

Vídeos e podcasts

Os seus conteúdos audiovisuais podem conter chamadas também, por mais que não exista a possibilidade de o usuário clicar nelas.

Aqui, você pode convencer o público através de chamadas no próprio conteúdo e disponibilizar o acesso para eles na descrição dos vídeos e podcasts.

Dicas para melhorar as suas calls to action

Quer saber como você pode melhorar as suas CTA? Coloque as dicas que vamos te dar agora em prática e crie call to actions campeãs!

Faça bom uso dos contrastes

Quando citamos a técnica AIDA, falamos da importância de chamar a atenção do usuário. Um dos fatores principais e que é responsável diretamente por causar o impacto visual no leitor é a utilização correta das cores.

Suas chamadas devem ficar em evidência e devem se destacar em relação ao resto do seu site ou do material onde a chamada está inserida.

Uma dica é utilizar tons que fazem parte da padronização visual da sua marca, mas que saltem aos olhos e sejam contrastantes com o fundo.

Faça um bom posicionamento das suas chamadas

Onde suas CTAs serão colocadas? Ela está visível para o leitor? Está dentro do campo útil da visão dele ao ler um texto, por exemplo?

Estude quais são os pontos do seu site em que a sua CTA pode ficar mais bem posicionada e faça testes. Uma barra lateral ou no final do conteúdo podem ser a saída ideal para posicionar corretamente suas chamadas.

Utilize imagens para chamar a atenção

Uma imagem chama bem mais a atenção do que mil palavras – ditado popular adaptado livremente por nós da Tupiniquim e que serve para exemplificar o poder que as imagens podem ter em suas chamadas.

Equilibre um bom texto com imagens de apoio e você verá que os resultados das suas CTAs melhorarão.

Guie o usuário até a chamada

Uma das melhores formas de fazer com que o leitor preste atenção nas chamadas é abusando de recursos visuais como setas, espaços em brancos e boxes para que ele inconscientemente preste mais atenção nas chamadas do que no resto do conteúdo.

Desta forma, você consegue fazer com que o usuário não se perca no conteúdo e preste atenção exatamente naquilo que você quer oferecer.

Crie textos diretos

Não dê voltas ao falar sobre o que você espera que o usuário faça. Seja o mais claro possível sobre a ação desejada.

Se você criar textos muito longos ou com ideias que não estejam bem formuladas, é provável que o interesse dos usuários seja perdido.

Passe urgência nas suas chamadas

Se você conseguir passar a sensação de que aquela é uma oportunidade única através do seu CTA, você despertará um sentido de urgência nos usuários.

Esse tipo de prática aumenta as chances de fazer com que o seu leitor realize uma conversão, já que para ele, ficará a sensação de que a oportunidade passará caso ele não a agarre.

Mantenha a ideia de que é fácil

Se você quer dados básicos do usuário, diga para ele que o processo todo não tomará muito do tempo dele.

Hoje, a velocidade das coisas demanda que suas CTAs e seus materiais para conversão sejam o mais objetivas possível e não tomem mais do que um minuto do usuário. Recomendamos que você deixe essa informação de que o processo é rápido em seus textos.

Evidencie os números

Você possui dados específicos que podem ser entregues aos usuários? Utilize-os nas chamadas!

Colocar informações referentes aos valores dos descontos, datas limites ou o número de vagas pode ser o gatilho necessário para despertar o desejo do usuário e fazê-lo completar a conversão.

Faça testes A/B – muitos testes

Essa é uma regra que se aplica a diversas áreas do marketing digital, e com a construção de boas call to actions não seria diferente.

Fazer testes A/B com modelos diferentes, cores e textos distintos é a chave para que você descubra quais são as preferências do seu público.

Compare as duas versões e vá aprimorando todas as suas CTAs com esses testes e você saberá de onde partir na construção das próximas.

Mensurando os resultados das CTAs

Para medir o resultado das suas chamadas para a ação, você deve acompanhar a taxa de cliques dos seus materiais.

Sabendo em quais pontos a sua estratégia pecou nas calls to action, é muito mais fácil saber o que deve ser melhorado.

A taxa de cliques é conhecida como CTR, e é um número que surge da relação entre as pessoas que visualizaram o seu conteúdo x o número de pessoas que clicaram no seu CTA.

Caso você queira saber mais sobre o que é CTR, recomendamos que você leia este post: Métricas de Marketing Digital: o que é CTR e como acompanhar esse indicador para ter o resultado ideal em suas campanhas de Ads e SEO

Agora que você já sabe como criar uma call to action, é hora de botar o que aprendeu aqui em prática!

Comece revisando os seus conteúdos e veja o que pode ser melhorado nas suas CTAs de acordo com o que você leu neste post.

Caso você ainda não experiência com a criação de calls to action, já terá um ótimo lugar de onde começar!

Se você precisar de ajuda com as suas chamadas ou não sabe ainda como alinhar esse tipo de conteúdo com o seu público, nos mande uma mensagem – a Tupiniquim é uma agência de marketing digital com mais de 10 anos de experiência e pode ser a sua parceira na construção de novos materiais incríveis que convertam o seu público e te tragam resultados reais diariamente!

Gostou deste conteúdo? Compartilhe este post com os seus amigos!

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades e conteúdos relevantes sobre marketing digital e vendas!
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Solicite seu diagnóstico gratuito com nossos especialistas!

1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Solicite seu diagnóstico gratuito com nossos especialistas!

1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder