fbpx
As vezes fica difícil acompanhar a evolução do marketing digital, não é mesmo? Se você possui dúvidas a respeito de flywheel marketing, este post é para você!

O Flywheel Marketing é um novo conceito dentro do Marketing Digital que veio para ficar. Essa estratégia impactou o Inbound Marketing e, principalmente, o funil de vendas.

Isso porque essa estratégia mudou todo o funcionamento do funil. Pelo menos é dessa forma que está sendo visto pelos especialistas da área.

Para os negócios, que estão sempre focados em aumentar suas vendas, é fundamental conhecer essa nova estratégia e todos os detalhes que a envolvem.

Todos nós já ouvimos falar sobre o Marketing de Atração, que como o próprio nome já diz, tem como intuito atrair, envolver e encantar clientes.

É dessa forma que as marcas constroem sua imagem, despertam a confiança dos consumidores e conseguem efetivar suas vendas. E é com o Inbound que as empresas têm conquistado seus objetivos.

O Flywheel Marketing reforça todo esse conceito, só que chega até os resultados de maneira mais inteligente e ágil. Aliás, você sabe muito bem que tempo é dinheiro. Se pudermos encurtar todo o processo até a venda, por que não?

Neste artigo, vamos explicar o que é Flywheel Marketing, como surgiu, como funciona essa estratégia, como aplicar suas etapas e os benefícios e resultados trazidos por ela. Acompanhe!

Navegue e saiba mais sobre flywheel marketing

O que é Flywheel Marketing?

Como já abordamos, o Flywheel Marketing é um novo conceito que aborda marketing e vendas de uma maneira diferente, voltando seus olhares para a fidelização.

Ao invés de trabalhar no formato comum de funil, trabalha de maneira circular, a fim de estabelecer um ciclo infinito com o cliente.

É como se fosse um volante que dá força à máquina de vendas de uma empresa, como um buffet de casamento simples, atraindo, engajando e melhorando a experiência do cliente.

Atrair e interagir com os usuários é importante, mas quando damos ênfase a última parte do processo, que é a experiência deles, conseguimos retê-los e colocá-los em um processo de retorno.

Além de voltarem a comprar com a marca, eles a indicam para outros consumidores que também serão incluídos nesse processo.

Essa estratégia surgiu da necessidade de empregar mais energia na primeira etapa do processo, que é a atração dos clientes e em todas as experiências que o usuário tiver com a empresa.

Para funcionar, o Flywheel depende de três fatores, sendo: velocidade que gira, quantidade de fricção e tamanho. A velocidade diz respeito às áreas que causam maior impacto nos clientes, tais como marketing, vendas e pós-venda.

A satisfação com os produtos e serviços oferecidos pela marca, como quando uma pessoa compra colar comprido feminino, é o que faz girar o Flywheel de um negócio.

Isso diz respeito, inclusive, ao seu tamanho, que é quando o cliente indica a empresa para outras pessoas; e sua velocidade, adquirindo produtos complementares e promovendo o up-selling.

A fricção diz respeito a tudo o que pode deixar o cliente insatisfeito, ressaltando a importância de as organizações avaliarem os motivos que levam alguém a desistir de uma compra e encontrar maneiras de reverter esse quadro.

O tamanho é o conceito relacionado aos fatores anteriores, onde uma velocidade rápida e sem fricção faz com que o Flywheel aumente. Em outras palavras, aumentam-se as vendas e o faturamento.

Como aplicar cada etapa?

Para aplicar cada etapa dessa estratégia, é necessário estabelecer bons KPI’s, ou Key Performance Indicators, saber quais as forças da marca em cada estágio do Flywheel e identificar os obstáculos no relacionamento com o cliente.

Os estágios são atrair, envolver e encantar, que respectivamente dizem respeito ao marketing, vendas e serviço.

Na primeira etapa, a empresa ou profissional, como médico ao domicílio, precisa investir em conteúdos que iniciem um relacionamento com o cliente.

Uma boa estratégia para essa etapa é o marketing de conteúdo, materiais ricos e relevantes, voltados aos assuntos de interesse da persona. Esses materiais podem assumir diversos formatos, como:

  • Texto;
  • Vídeo;
  • Infográfico;
  • Áudio.

Na etapa do envolvimento, é preciso construir uma relação que leve soluções para as necessidades e tudo o que ajuda a superar os obstáculos.

Encantar os clientes, por sua vez, requer oferecer experiência relevante, para que ele se sinta confiante ao buscar seus objetivos.

Os recursos necessários em cada etapa vão depender da própria empresa, pois uma academia que ofereça plano alimentar para emagrecer, por exemplo, precisa de recursos específicos para manter a energia em torno de seus clientes.

Vale lembrar que essa estratégia é de longo prazo, ou seja, marca nenhuma vai obter retorno imediato com essa ação. Pode até ser que apareçam alguns casos, mas o fato é que ela requer longo prazo para trazer bons resultados.

É essencial manter a energia durante a aplicação do Flywheel. O empurrão inicial fará com que ele gire, mas a cada nova ação, a roda vai receber mais energia para disseminar a marca e a cultura dela.

Estar sempre inovando é essencial, não apenas quando as falhas aparecerem. Se a sua lanchonete pode criar um hambúrguer artesanal diferente para atrair os clientes, por que não investir?

Outras ações que são promovidas pelo Flywheel e que devem ser aplicadas pelos negócios são aquelas que reduzem o atrito (fricção), ou seja, tudo o que pode provocar a insatisfação dos clientes.

Uma boa prática é investir em automação dos processos de atendimento ao cliente, para que eles sejam mais ágeis e precisos, o que, inclusive, melhora o relacionamento entre funcionários e clientes.

Algumas das melhores opções para fazer isso são os chatbots, envios de e-mails de pós-venda e pesquisas de satisfação. A automação traz uma grande vantagem: o fato de poder ser usada 24 horas por dia, o que agrada ainda mais os clientes.

Uma gráfica que faça cartão de visita nutricionista também pode melhorar seu Flywheel fazendo coleta de informações e processos interativos, o que também é conhecido como personalização.

Tudo o que é padronizado afeta a experiência do cliente, e por meio de dados específicos sobre eles, é possível melhorar a interação e a experiência que ele tem como a marca.

Se uma marca permite que o consumidor defina um produto ou serviço com base em suas necessidades reais, as chances de atrito com ele são muito menores. É o que chamamos de “self-service”.

Com essa estratégia, o ciclo de vida do cliente é mais longo e sustentável, além de fazer com que a marca se diferencie da concorrência.

Benefícios e resultados

O objetivo do Flywheel Marketing é corrigir falhas em estratégias usadas pelas empresas, como o próprio funil de vendas.

A principal pergunta que justifica essa “substituição” é: depois que o cliente passa pelo fundo do funil (fecha a compra), o que acontece?

Muitas empresas não sabem responder, e é exatamente por isso que todos os esforços e investimentos que fizeram para atravessar o cliente pelo funil acabaram sendo desperdiçados.

Por outro lado, uma gráfica que impressão de banner e que trabalhe com o Flywheel investindo no pós-venda, fez suas ações anteriores valerem a pena e ainda conseguiu manter aquele cliente fidelizado.

Essa estratégia é importante para qualquer modelo de negócio, mas é ainda mais valiosa quando nos referimos aos negócios B2B.

Tal modelo também é conhecido como Business to Business, ou seja, empresas que vendem para outras empresas. Esse tipo de venda é mais longo e complexo, assim como atrair esses clientes é muito mais difícil.

Perdê-los, então, significa um grande prejuízo aos negócios. Com o Flywheel Marketing, as empresas B2B conseguem conquistar clientes de organizações muito maiores, sem colocar em risco o futuro dos negócios.

Consequentemente, há uma redução no que chamamos de CAC (Custo de Aquisição de Clientes). Todo empreendedor sabe que conquistar um cliente envolve esforço e dinheiro, e não é pouco.

Se você investe em uma estratégia que retém os clientes que você já conquistou, não precisará gastar para atraí-lo novamente. Aliás, eles geram o que chamamos de receita fixa, onde a organização consegue prever os seus lucros no fim do mês.

Dessa forma, uma lanchonete especializada em buffet de hambúrguer, por exemplo, saberá o quanto pode gastar, investir e quais são seus lucros reais.

Conclusão

Uma coisa é fato: depois que a internet surgiu, os clientes modernos se tornaram muito mais exigentes. Mas, ao mesmo tempo, ela facilita a vida das organizações por meio das estratégias de marketing digital.

Muito mais democráticas e acessíveis, elas ainda possibilitam que as marcas entendam melhor o perfil do consumidor e o mercado, além de lançar mão de práticas muito eficientes.

Esses é o caso do Flywheel Marketing, que constrói um ciclo entre marca e cliente infinito, em que ele sempre prova a melhor experiência, volta a comprar com ela e ainda indica a empresa para outras pessoas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades e conteúdos relevantes sobre marketing digital e vendas!
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Solicite seu diagnóstico gratuito com nossos especialistas!

1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Solicite seu diagnóstico gratuito com nossos especialistas!

1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder